Conheça a história da primeira Casa McDonald no Brasil, uma das 100 melhores do Brasil

Conheça a história da primeira Casa McDonald no Brasil, uma das 100 melhores do Brasil

Unidade do Rio de Janeiro foi reconhecida pelo Prêmio Melhores ONGs pelo terceiro ano consecutivo

As Casas Ronald McDonald oferecem gratuitamente hospedagem, alimentação, transporte e suporte psicossocial para as crianças e os jovens com câncer em vários países. Primeira na América Latina e a 162ª no mundo, a Casa Ronald McDonald-RJ foi inaugurada em 1994 e reconhecida, em 2020, como uma das 100 melhores ONGs do Brasil, pelo terceiro ano consecutivo. Quem respondeu às nossas tradicionais perguntas esta semana foram a presidente da instituição, Sonia Neves, e seu Gerente de Desenvolvimento Institucional, Carlos Neves.

Qual é a história que deu origem à ONG? A história de uma família comum: pai, mãe e dois filhos que viviam no bairro da Tijuca e levavam uma vida tradicional. Mas esta história começou a tomar um novo rumo quando Marquinhos, um dos filhos do casal, foi diagnosticado com Leucemia Linfóide Aguda. O câncer era um tabu, mas todos enfrentaram com coragem o desafio de buscar a cura do menino, com um tratamento longo e árduo. Mas, em determinado ponto, os médicos disseram que a única possibilidade de cura seria um tipo de transplante. A família buscou então apoio dos amigos e de muitos parceiros para a campanha SOS Marquinhos, que contou com um jogo realizado por grandes jogadores de futebol, que doaram toda a bilheteria à campanha.

A família pôde realizar a viagem à Nova York. Lá, tiveram a oportunidade de ficar numa Casa Ronald McDonald, enquanto Marquinhos fazia o tratamento no Memorial Hospital. Encontraram um lugar acolhedor, hospedagem gratuita, alimentação e todo o suporte junto a profissionais e outros pais na mesma situação. Infelizmente, Marquinhos não resistiu. Ele perdeu a batalha contra o câncer em 1990. Foi um momento muito doloroso, mas aos poucos, os pais decidiram transformar a dor numa causa e ajudar outras famílias na mesma situação. Eles não eram mais apenas os pais do Marquinhos, eram Francisco e Sonia Neves, voluntários do Instituto Nacional do Câncer. E com o tempo se tornaram muito mais.

Por ocasião do primeiro McDia Feliz realizado no Rio de Janeiro, que beneficiou o Inca, eles organizaram uma grande festa que chamou a atenção do então Presidente do McDonald’s. Chico tomou coragem, se apresentou e perguntou: “Por que não temos aqui uma Casa Ronald McDonald como a de Nova York?” A resposta surpreendeu: “Você a conhece? Vamos fazer uma Casa no Brasil?”. E assim começou uma das maiores mobilizações pela causa do câncer infantil e juvenil no país. Chico e Sonia são uma inspiração. Ela é a presidente voluntária da primeira Casa Ronald McDonald fundada na América Latina, a unidade Rio de Janeiro. Ele é o superintendente do Instituto Ronald McDonald.

Qual é o maior desafio de gestão que vocês têm hoje? Nosso maior desafio é manter e ampliar os projetos de atenção integral que visa acolher e oferecer proteção à criança e ao adolescente e sua família através de uma ação continuada das áreas, às quais atuam no fortalecimento e resgate da auto-estima e na defesa intransigente de direitos por meio de encaminhamentos para projetos internos e extra-institucional. Temos a necessidade do trabalho interdisciplinar entre os vários setores da Instituição.

E os planos para esse ano e próximo? Planejar o antes, o durante e o depois é a chave do sucesso de qualquer projeto. Para este e os próximos anos, pretendemos fortalecer a área de captação de recursos para conquistar nosso desafio.

Conta pra gente o maior orgulho do trabalho ou uma história de voluntariado? Desde 2003, Célia e Vicente atuaram como anfitriões no evento McDia Feliz. No ano de 2008, eles iniciaram como voluntários na Casa Ronald McDonald, atuando na área de Eventos Externos e também como suporte na operação da lojinha então existente no Shopping Barra World no Recreio.

Em março de 2009, Vicente foi convidado para ser Diretor de Captação de Recursos da Casa Ronald McDonald, o que marcou o início como coordenador da campanha McDia Feliz. A partir daí Célia ficou responsável pelas áreas de produtos institucionais, retiradas de doações, além de eventos realizados em grandes empresas e ambos passaram a trabalhar na Instituição de segunda a quinta. Em março de 2009, Célia assumiu a Diretoria Administrativa da Casa Ronald McDonald.

Vicente e Célia permaneceram na diretoria da Casa Ronald McDonald até outubro de 2013. A partir daí assumiram a área de Projetos Institucionais, sendo que a Célia continuou atuando na logística para retirada de doações, organizando confraternizações, coordenando os Anfitriões dando o suporte necessário antes, durante e após o McDia Feliz. Além de coordenador da campanha, Vicente foi membro do Conselho de Administração da Casa Ronald McDonald.

Por mais de 18 anos de amor à causa das crianças em tratamento de câncer. Com experiência e conhecimentos adquiridos em suas trajetórias, o casal colecionou admiradores e amigos sendo exemplos para nossos voluntários. Vicente nos deixou esse ano mas sempre estará presente em nossos corações como uma estrela que nunca deixa de brilhar no céu. E sua querida esposa Célia está dando continuidade a este compromisso tão importante para a Casa que o amor construiu.

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.